domingo, 20 de dezembro de 2015

FLORES DA AMEIXEIRA NO JAPÃO


Baji Koen Ume Blossom (Tóquio)


Baji Koen, ou Horse Park, foi construído para os eventos equestres nos Jogos Olímpicos de 1964 e agora é administrado pela JRA (Japan Association Racing). Também é conhecido por seus bosques repletos de pés de cereja e ameixa. É um local muito agradável para passear com toda a família.

sábado, 21 de novembro de 2015

CASTELO MARVÃO E SEUS JARDINS

CastillodeMarvao.jpg
"CastillodeMarvao" por Elemaki - Obra do próprio. Licenciado sob CC BY 3.0, via Wikimedia Commons - https://commons.wikimedia.org/wiki/File:CastillodeMarvao.jpg#/media/File:CastillodeMarvao.jpg
"Castelo de Marvão". Licenciado sob Domínio público, via Wikimedia Commons - https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Castelo_de_Marv%C3%A3o.JPG#/media/File:Castelo_de_Marv%C3%A3o.JPG


Gardens and Castelo of Marvao, Marvao, Portugal Photographic Print






Gardens and Castelo of Marvao, Marvao, Portugal Photographic Print

http://imgc.allpostersimages.com/images/P-473-488-90/29/2966/XX5QD00Z/posters/anders-blomqvist-gardens-and-castelo-of-marvao-marvao-portugal.jpg


http://as21maravilhasdeportugal.blogspot.com.br/

Castelo de Marvão e seu lindo jardim
http://marinamourao.com/castelo-de-marvao-dica-viagem/


O que mais me atrai nos castelos são os seus jardins mas não deixo de me encantar pelos castelos e suas histórias porque sempre gostei de histórias....

A história de Marvão é contada aqui pela Wikipédia, ainda bem que existe, assim temos democraticamente acesso a todo este conhecimento.

 Vejamos então...
Castelo de Marvão, no Alentejo, localiza-se na vila e freguesia de Santa Maria de Marvão, concelho de Marvão, distrito de Portalegre, em Portugal.
O castelo inscreve-se no Parque Natural da Serra de São Mamede, na vertente norte da serra, em posição dominante sobre a vila e estratégica sobre a linha da raia, controlando, no passado, a passagem do rio Sever, afluente do rio Tejo. Esse fato garantiu-lhe a atenção de diversos monarcas, expressa em diversas campanhas de remodelação, que deram ao monumento o seu aspecto atual.

Pouco se sabe quanto à primitiva ocupação humana de seu sítio, possivelmente um castro pré-histórico. À época da Invasão romana da Península Ibérica, alguns autores defendem ser esta a povoação romanizada que os Lusitanos denominavam como Medobriga, que, objeto de disputa entre as forças de Pompeu e de Júlio César, foi conquistada por tropas deste último sob o comando do propretor Caio Longino, em meados do século I. O interesse pela povoação derivava principalmente por ser vizinha à estrada romanaque que ligava Cáceres a Santarém, na altura da ponte que cruzava o rio Sever (Ponte da Portagem).

Embora não haja mais informações acerca do período das invasões de Suevos, Visigodos e Muçulmanos, entre 876 e 877 aí se instalou Ibn Marwan, sendo o local conhecido já no século X como Amaia de Ibn Marwan ou Fortaleza de Amaia.

No contexto da conquista de Alcácer do Sal, D. Afonso Henriques (1112-1185) terá tomado a povoação aos mouros entre 1160 e 1166. Quando da demarcação do termo de Castelo Branco (1214), Marvão já se incluía em terras portuguesas. D. Sancho II (1223-1248) concedeu-lhe Carta de Foral (1226), visando manter esta sentinela avançada do território povoada e defendida diante das repetidas incursões oriundas de Castela à época.

D. Afonso III (1248-1279) doou os domínios de Marvão aos cavaleiros da Ordem de Malta (1271), posteriormente outorgados a seu filho,Afonso Sanches, juntamente com os senhorios de ArronchesCastelo de Vide e Portalegre. Por esta razão, ao se iniciar o reinado de D. Dinis (1279-1325), a vila e o seu castelo viram-se envolvidos na disputa entre o soberano e o infante D. Afonso, vindo a ser conquistados pelas forças do soberano em 1299. 

No encerramento da questão, os domínios de Marvão, Portalegre e Arronches foram trocados pelos de Sintra e de Ourém, permanecendo os primeiros na posse do soberano. Este confirmou a Marvão o foral de 1226 e empreendeu-lhe obras de ampliação e reforço das defesas, destacando-se a construção da torre de menagem, iniciada no ano de 1300.

No reinado de D. Fernando (1367-1383), foi estabelecido em Marvão o couto de homiziados (1378). Após o seu falecimento, ao eclodir acrise de 1383-1385, a vila e seu castelo posicionaram-se pelo partido do Mestre de Avis. O novo soberano e os seus sucessores concederam diversos privilégios à vila (1407, 1436 e 1497) com o mesmo fim de incrementar o seu povoamento e defesa. Nessa fase, foram procedidos também reforços nas muralhas, o que é constatado pela presença de cubelos datando dos séculos XV e XVI.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Castelo_de_Marv%C3%A3o

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

OS MILAGRES DA NATUREZA


Este filme narra a transformação mágica de uma paisagem. Toda primavera, um trecho desolado de 100km no interior da costa oeste da África do Sul é brevemente transformado na maior feira de flores do planeta. As abelhas coletoras de óleo polinizam brilhantemente dentro de poucas semanas milhares de preciosas espécies de flores coloridas antes que o calor escaldante do verão transforme o jardim em pó.



segunda-feira, 31 de agosto de 2015

LÍRIO DA PAZ




Eu tenho um vaso com lírio do vale que comprei florido mas que depois nunca mais floriu. Então resolvi pesquisar o que tinha de errado nos cuidados que tive com ela e descobri que tinha feito muita coisa errada. Então, achei este artigo muito interessante, bem como um vídeo bem explicativo que tiraram minhas dúvidas. Então resolvi passar para os leitores de Jardins de Agharta.

LÍRIO DA PAZ

Originário da América Central, o lírio-da-paz (Spathiphylum wallisii ) é uma planta de porte altivo e elegante, suas folhas, de um verde intenso, contrastam com o branco puro de suas flores. Propaga-se por meio de sementes, divisão de touceiras ou por micropropagação e seu florescimento ocorre duas vezes ao ano: de janeiro a março e de julho a setembro.

O lírio-da-paz é uma planta que resiste à baixas temperaturas (desde que superiores a 5 graus), sendo que, no inverno, para que tenha bom desenvolvimento, necessita de temperaturas em torno de 15 graus. O clima ideal para o cultivo é o moderadamente úmido (70%), com temperaturas entre 20 e 27 graus. 

Quanto à luminosidade, recomenda-se que o lírio-da-paz não fique exposto ao sol direto, pois isso causa o amarelamento de suas folhas e bloqueia seu desenvolvimento. Por outro lado, locais com pouca iluminação devem ser evitados, principalmente porque a falta de luminosidade adequada deixa as folhas alongadas em excesso, muito finas, fragilizadas e reduz acentuadamente a floração.


A terra para o cultivo do lírio-da-paz deve ser úmida, mas nunca encharcada. Deve-se evitar, inclusive, o uso de prato com água sob o vaso.

Para saber se a quantidade de água está correta, o ideal é colocar a mão na terra: se ela estiver secando, faça a rega. Como procedimento geral, recomenda-se irrigar duas vezes por semana durante o verão e uma vez por semana no inverno.

De uma a duas vezes por mês pode-se fazer uma adubação foliar, aplicando o fertilizante junto com a irrigação, sempre seguindo à risca as recomendações e indicações do fabricante do produto.

O lírio-da-paz é uma planta bem bastante resistente a pragas. Geralmente, os problemas que surgem nesta planta estão mais relacionados com erros de regas e luminosidade do que com ataque de pragas. 

Por sua capacidade de se desenvolver bem em ambientes internos, é uma espécie muito indicada para ser cultivada dentro de casa, desde que receba bastante luminosidade e que o local seja bem ventilado, mas protegido de ventos fortes. Seu uso em jardins internos confere harmonia e suavidade ao conjunto, mas exige cuidados básicos como adubação periódica e regas corretas, sem excessos.

Outra vantagem do uso do lírio-da-paz em ambientes internos é que esta planta funciona como uma espécie de purificador biológico, ajudando a eliminar componentes tóxicos eventualmente liberados no ar.

Para manter a beleza de suas folhas, recomenda-se pulverizá-las periodicamente com água, eliminando a poeira.

Segundo os produtores desta espécie, com o tempo, é normal a inflorescência do lírio-da-paz tornar-se verde e quando isso acontece é preciso aguardar a próxima floração.

O lírio-da-paz, assim como o antúrio e o copo-de-leite, pertence à família das Aráceas, que traz como marca formas exóticas e elegantes, com inflorescências belas e harmoniosas.

http://www.jardimdeflores.com.br/floresefolhas/A41liriopaz.htm




sexta-feira, 14 de agosto de 2015

WADDESDON GARDENS


Waddesdon Gardens, Buckinghamshire, England
http://www.pinterest.com/pin/402861129139826920/
File:Waddesdon.Parterre.jpg
 Giano at the English Wikipedia project

File:Waddesdon Manor North Façade, UK - Diliff.jpg
 "Photo by DAVID ILIFF. License: CC-BY-SA 3.0"


Creative Commons Attribution Share-alike license 2.0

                                              Autor Christine Matthews


"Waddesdon Manor and Gardens - geograph.org.uk - 649037" by Colin Park. Licensed under CC BY-SA 2.0 via Wikimedia Commons - https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Waddesdon_Manor_and_Gardens_-_geograph.org.uk_-_649037.jpg#/media/File:Waddesdon_Manor_and_Gardens_-_geograph.org.uk_-_649037.jpg


Waddesdon Manor é uma casa de campo na vila de Waddesdon , em Buckinghamshire , Inglaterra . Ele está localizado no Aylesbury Vale , 6,6 milhas (10,6 quilômetros) a oeste de Aylesbury . 

A casa foi construída no estilo neo-renascentista estilo de um francês château entre 1874 e 1889 para o Barão Ferdinand de Rothschild (1839-1898) como uma residência de fim de semana para grande entretenimento.

O último membro da família Rothschild de possuir Waddesdon foi James de Rothschild (1878-1957). Ele legou a casa e seu conteúdo para o National Trust . Agora é administrado por um fundo de caridade Rothschild que é supervisionado por Jacob Rothschild, quarto Barão de Rothschild . É uma das propriedades mais visitadas do National Trust, com cerca de 335.000 visitantes por ano

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

quarta-feira, 15 de julho de 2015

THE HÉRCULES CALLA LILY





Bem-vindo à versão rara "monstro" do lírio de Calla comum! Ao contrário do típico Calla branco, a forma Hercules tem manchas brancas deslumbrantes sobre as folhas, tornando-se  bonito, mesmo sem flores! Ao longo da maior parte do ano ele envia altaneiro, hastes florais 6-7 pés de altura, coberta com enormes flores brancas com até um pé de diâmetro, com uma spadix amarelo brilhante no centro. As folhas desta planta são enormes - até 3 pés de comprimento! Esta é uma planta central de tirar o fôlego que vai surpreender seus convidados.

O Hercules Calla tende a permanecer dormente durante o verão, e cresce ativamente o resto do ano. Os tubérculos da Hercules Calla são resistentes a Zona 8 (20 graus F / -6 graus C) se plantadas bem profundo. Mas uma vez que esta é uma planta de inverno crescente, é melhor para ele crescer em um jarro e colocá-lo dentro de casa antes das  geadas. Quando deixados no  interior da residência, ele não vai ficar dormente no inverno como alguns Callas e vai continuar crescendo todo o ano! 

A planta é de crescimento rápido e muito fácil de crescer. Basta dar-lhe solo que é mantido úmido boa-drenagem, e alimentá-lo ocasionalmente. Ela não precisa de tanto sol como o Calla comum, e deve ser protegida do forte sol da tarde. Ele faz muito bem em tom claro.

O Hercules Calla começa a florescer em uma idade jovem, e as flores ficam progressivamente maior à medida que a planta cresce. Eventualmente, eles podem ficar bastante gigantescos. As flores são de longa duração e são consideradas grandes flores de corte. Ao longo do tempo, a planta multiplica prontamente em ramos, formando um suporte enorme!  

FONTE: http://www.strangewonderfulthings.com/107.htm

quinta-feira, 21 de maio de 2015

PARQUES NACIONAIS DO JAPÃO

Parques Nacionais de Hokkaido

Shikotsu-Toya Kokuritsu Koen

* Designação: 1949/05/16 Área: 99.302 ha
* Localizado na Província de Hokkaido
Este parque oferece uma variedade de atividades ao ar livre, tais como caminhadas, nascentes de água quente e alguns dos melhores resorts de esqui do país. É cercado por lagos, caldeiras vulcânicas e vulcões ativos como Monte Yotei, Mt. Usu, Mt. Showa-shinzan e o Mt.Tarumae. Sua proximidade com Sapporo faz com que se torne um popular ponto turístico em Hokkaido.

Shiretoko Kokuritsu Koen

* Designação: 1964/06/01 Área: 38.633 ha
* Localizado na Província de Hokkaido
O Parque Nacional Shiretoko é um dos mais belos parques nacionais, além de estar incluído na lista da Unesco como Patrimônio Mundial. Esta península de vegetação intocada, é o lar de ursos marrons que podem ser vistos dos barcos de turismo durante os meses mais quentes. No inverno é um dos poucos lugares no Japão, onde o mar fica coberto por placas de gelo.

Daisetsuzan Kokuritsu Koen

* Designação: 1934/12/04 Área: 226.764 ha.
* Localizado na Província de Hokkaido
Este é o maior de todos os parques nacionais no Japão. As principais características deste parque são os vulcões como o Monte Tokachi e Monte Asahi, que é a montanha mais alta de Hokkaido. O parque também oferece vistas esplêndidas do Monte Ishikari, com muitas espécies de plantas alpinas e animais como ursos marrons, veados, entre outros.

Parques Nacionais de Honshu

Chuubu-Sangaku Kokuritsu Koen

* Designação: 1934/12/04 Área: 1,743.23 mt²
* Abrange as províncias de Nagano, Gifu, Toyama e Niigata
O Parque Nacional Sangaku Chubu é cercado por uma cadeia de montanhas e por belas paisagens naturais e vistas alpinas. Os locais mais visitados no parque são o Kamikochi, em Nagano, o Tateyama Kurobe Alpine Route, em Toyama, além de várias cidades de águas termais e estâncias de esqui.

Hakusan Kokuritsu Koen

* Designação: 1962/11/12 Área: 47.700 ha
* Abrange as províncias de Fukui, Gifu, Ishikawa e Toyama
O Parque Nacional Hakusan é famoso por causa do Monte Hakusan, que é considerada como uma das três montanhas sagradas do Japão, juntamente com o Monte Fuji e Mt. Tateyama. Também é rica em flora e fauna, sendo um habitat para muitos ursos pretos e antílopes.

Minami Alps Kokuritsu Koen

* Designação: 1964/06/01 Área: 35.752 ha
* Abrange as províncias de Yamanashi, Nagano e Shizuoka
O Parque Nacional dos Alpes Minami é cercado por montanhas com mais de 3.000 m, incluindo o Mt. Kitadake (3,192m), o segundo pico mais alto do Japão. Tem ainda os Mt.Komagatake, Mt. Senjogatake e Mt. Akaishidake, sendo portanto um parque muito procurado por quem gosta de fazer montanhismo. Neste parque passa muitos rios como o Fuji, Oi e Tenryu, além de uma paisagem belíssima, cercada por uma vegetação nativa.

 


Fonte: www.japaoemfoco.com

ORQUÍDEAS DE MADAGASCAR



ORCH 03

ORCH 01

ORCH 08

ORCH 13

ORCH 16

Estes exemplares pertencem à coleção de orquídeas da Boutique de Orquídeas de Marcel Lecoufle em Paris.

Fonte:http://mirabile-visu.skynetblogs.be/tag/orchidees

JARDIM BOTÂNICO DE SALVADOR BAHIA

Entrada do Jardim Botânico

Jardim Botânico de Salvador


Jardim Botânico de Salvador é um jardim botânico localizado em Salvador, capital do estado da Bahia. Foi criado em 22 de março de 2002, conforme decreto nº 13.546, referendado pela lei 6.291 de 2003, ocupando 17 hectares de domínio público.
 Foi fruto da transformação do Horto da Mata dos Oitis em jardim botânico, com preocupações sobre o oiti-da-bahia, o jacarandá-da-bahia, espécies ligadas ao candomblé e outras endêmicas ao bioma da Mata Atlântica.  
Nele, são realizados pesquisas acadêmicas, conservação e preservação das plantas, atividades voltadas para a educação ambiental, além de incentivar a utilização sustentável da flora como forma de preservação ambiental. O espaço abriga mais de 60 mil plantas provenientes de vários biótipos, como Mata AtlânticaAmazôniaCerradoCaatingaRestinga e Manguezal.
 O Jardim Botânico de Salvador foi criado em 22 de março do ano de 2002, conforme Decreto no 13.546, referendado pela Lei 6.291/2003, ocupando uma área de domínio público, com 17 hectares, anteriormente, denominada de Mata dos Oitis, devido à ocorrência do Oiti da Bahia [Licania salzmanii (Hook f.) Fritsch]. 

É vinculado à Prefeitura Municipal do Salvador, sob a interveniência da Superintendência de Parques e Jardins (SPJ), apresentando a missão de estudar e preservar a flora baiana sob os aspectos botânicos, históricos e culturais, propiciando meios para realização e divulgação de pesquisas tecno – científicas e sua aplicabilidade. 

Tem como objetivos (a) conduzir pesquisas genéticas visando a conservação e a preservação de espécies nativas; (b) resgatar informações etnobotânicas com ênfase em espécies vegetais utilizadas nos rituais afro-brasileiros; (c) promover o conhecimento dos recursos florísticos da região; (d) conhecer o desenvolvimento das espécies vegetais em seu habitat natural; (e) proteger espécies ameaçadas de extinção para a manutenção de ecossistemas; (f) promover intercâmbio tecno-científico com órgãos nacionais e internacionais; (g) manter banco de germoplasma; e (h) desenvolver programas na área de educação ambiental. 

Acha-se situado em Salvador, capital do Estado da Bahia, no bairro Pau da Lima, delimitado ao Norte pela Rua São Marcos, ao Sul pela Avenida Gal Costa e a Leste e Oeste por dois afluentes do Rio Pituaçu, cujas nascentes estão localizadas no sítio do Jardim. Cabe ressaltar, o convênio celebrado entre a Prefeitura Municipal do Salvador e a Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que contempla a transferência para o Jardim, do acervo do Herbário RADAMBRASIL, criado em 1980, e que abriga, atualmente, cerca de 50.000 exsicatas oriundas da Amazônia, Mata Atlântica, Cerrado, Caatinga e Ambientes Costeiros. 

Nos registros deste Herbário, considerado um dos sete mais importantes do Brasil, encontram-se 20 famílias, representadas por 24 espécies coletadas na área do Jardim Botânico, no período de 1976 a 1986. 

Pessoal: O Jardim Botânico possui uma equipe especializada e treinada de 06 técnicos de nível superior, entre eles.

Instalações: administração e áreas de produção e de apoio funcional. Em construção uma edificação de 740m2 , com instalações para abrigar o herbário e salas para pesquisadores. Engenheiros Agrônomos, Botânicos, um Arquiteto e uma Bióloga que atua na área de educação ambiental. Conta, ainda, com 15 funcionários que atendem aos serviços de jardinagem e manutenção, 06 vigilantes, além de um serviço de vigilância terceirizada.

FONTES:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Jardim_Bot%C3%A2nico_de_Salvador
http://rbjb.org.br/sites/default/files/users/u82/imce/salvador.pdf
http://www.jb.salvador.ba.gov.br/index.asp?pg=jb

IMAGENS:
https://salaverdeufba.wordpress.com/2014/06/28/jardimbotanicosalvador/
http://www.tribunadabahia.com.br/2014/08/20/secretaria-prepara-projeto-de-reforma-para-jardim-botanico-de-salvador
http://arq-contemporanea-ajl.blogspot.com.br/2011_06_01_archive.html



VÍDEO DO JARDIM  BOTÂNICO DE SALVADOR




segunda-feira, 11 de maio de 2015

VAMOS HOMENAGEAR AS ROSAS?

ENTÃO VAMOS OUVIR O MESTRE ROBSON MIGUEL INTERPRETANDO ABISMO DE ROSAS DO INESQUECÍVEL CANHOTINHO (ARRANJO DE DILERMANDO REIS)




UMA DAS MAIS BELAS VALSAS BRASILEIRAS.

domingo, 10 de maio de 2015

CAMARÃO VERMELHO

Justicia brandegeeana bokeh.jpg
"Justicia brandegeeana bokeh" por Rror - Obra do próprio. Licenciado sob CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons - http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Justicia_brandegeeana_bokeh.jpg#/media/File:Justicia_brandegeeana_bokeh.jpg

http://www.minhasplantas.com.br/plantas/camarao/



Nome Científico: Justicia brandegeeana
Sinonímia: Beloperone guttata
Nome Popular: Camarão-vermelho, camarão
Família: Acanthaceae
Divisão: Angiospermae
Origem: México
Ciclo de Vida: Perene
Se você quer atrair borboletas e beija-flores, o camarão-vermelho é uma planta interessante. Suas inflorescências de brácteas vermelhas e estruradas, com flores brancas e pequeninas são formadas durante o ano todo. A folhagem é delicada e ramificada, e apresenta folhas pilosas, oval-lanceoladas e com nervuras bem marcadas. Ocorre uma variedade de brácteas amarelas.
Para ficar sempre bonito, o camarão-vermelho exige solo fértil, profundo, enriquecido com matéria orgânica e regas regulares, além de sol pleno. Não tolera geadas. No paisagismo, é adequado principalmente para a formação de bordaduras de cerca de 80 cm. Multiplica-se por divisão da ramagem enraizada e por estaquia.


Imagem: 
"Justicia brandegeeana bokeh" por Rror - Obra do próprio. Licenciado sob CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons - http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Justicia_brandegeeana_bokeh.jpg#/media/File:Justicia_brandegeeana_bokeh.jpg

segunda-feira, 4 de maio de 2015

As Belas Azaleias do Kumoroyama Park, em Shizuoka



Fonte da Imagem: itospa.com
Fonte da Imagem: itospa.com

Fonte da Imagem: itospa.com
As Belas Azaleias do Kumoroyama Park, em Shizuoka
Se você gosta de azaleias e mora na província de Shizuoka ou arredores, aproveite para conhecer o Komuroyama Tsutsuji Park. É um parque localizado na cidade de Ito, na encosta do Monte Komuro, onde 100 mil azaleias florescem na primavera, mais especificamente entre o final de abril e início de maio.

O Monte Komuro tem 321 metros de altura e é rodeado por uma floresta natural e por canteiros de flores. Possui um Observatório de onde os visitantes podem ter uma visão panorâmica de todo o parque, das ilhas Ojima e Nijima e dos montes Amagi, Hakone e Fuji.


Kumoroyama Tsusuji Park possui 35 mil metros quadrados e é conhecida por seus mais de 40 tipos de azaleias que se estendem pelo parque como um tapete pink avermelhado. Mas o parque tem outras atrações como uma praça de dinossauros, quadras de tênis e um majestoso jardim de Camélias.

Em meados de maio, o Kumoroyama Park recebe milhares de visitantes para o Tsusuji Matsuri (Festival das Azaleias). Durante o festival, ocorrem vários eventos interessantes. Vale muito a pena conferir bem de pertinho!

Fonte:http://www.japaoemfoco.com/as-belas-azaleias-do-kumoroyama-park-em-shizuoka/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+JapaoEmFoco+%28Japao+em+Foco%29

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Nitobe Memorial Garden




Dscf2262


Dscf2276




File:Nitobe Memorial Garden 97.jpg

Nitobe Memorial Garden

Flowers at Nitobe Garden at UBC








Nitobe Memorial Garden, um tradicional chá e Stroll jardim japonês localizado na University of British Columbia, em Vancouver, no Canadá. Nitobe Garden é considerado  um dos mais autênticos jardins japoneses na América do Norte e entre as cinco maiores jardins japoneses fora do Japão, o Jardim Nitobe inclui um jardim e uma autêntica e rara Casa de Chá com um cerimonial .


Cada árvore, pedra e arbusto foi deliberadamente colocado e é cuidadosamente mantido para refletir uma concepção idealizada e representação simbólica da natureza. Há harmonia entre as formas naturais - cachoeiras, rios, florestas, ilhas e mares - e um equilíbrio de forças masculinas e femininas tradicionalmente atribuídos a elementos naturais. 
Percebendo que muitas árvores e arbustos nativos poderiam ser treinados e podados na forma típica japonesa, os criadores do jardim o incorporou com características  únicas. Algumas árvores de bordo e de cereja e na maioria das azáleas e iris foram trazidos do Japão. Um lugar de reflexão, onde cada passo revela uma nova harmonia, o jardim foi projetado para sugerir um espaço de tempo - um dia, uma semana ou uma vida inteira - com começo, escolha de caminhos, e que termina.

Apesar de ser apreciado por todos os que visitam, é altamente recomendável aos visitantes Nitobe tirar proveito dos passeios. Visite na primavera para as flores de cerejeira, de verão para o outono íris ou para os bordos. As sutilezas de Nitobe Memorial Garden podem ser apreciadas durante todo o ano: a lagoa refletindo com Koi, riachos e cachoeiras, lanternas de pedra e casa de chá - tudo contribui para uma experiência única e significativa.

FONTE: http://www.botanicalgarden.ubc.ca/nitobehttp://www.botanicalgarden.ubc.ca/nitobe

IMAGENS : os links das imagens estão na ordem em que aparecem as fotos. 
http://kumo.typepad.jp/weblog/2008/03/nitobe-memorial.html
http://unrealvancouver.com/2013/04/nitobe-memorial-garden/

Nitobe Memorial Garden 993.jpg

Nitobe Memorial Garden 97.jpg

http://unrealvancouver.com/2013/04/nitobe-memorial-garden/nitobe-memorial-garden/
http://unrealvancouver.com/2013/04/nitobe-memorial-garden/20130427-dsc_0536/
"Nitobe Gardens, memorial" by D. Gordon E. Robertson - Own work. Licensed under CC BY-SA 3.0 via Wikimedia Commons - http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Nitobe_Gardens,_memorial.jpg#/media/File:Nitobe_Gardens,_memorial.jpg
http://www.botanicalgarden.ubc.ca/potd/2014/03/nitobe-memorial-garden.php